O Cristianismo autêntico e a Igreja “Pirata”
O que é cristianismo para mim?

É estar sob os cuidados de Deus ainda que eu não veja o que acontece na atmosfera espiritual. Do verdadeiro Deus, bíblico, vivo e sem complicações.

É a fé pura e simples, que não se deixa levar pelos ventos, que não balança e não dúvida de Quem crê. Que segue que ouve, que ama, que aceita, que prega através do dia-a-dia, sem folhetim.

Mas hoje, além desse desejo de busca pelo cristianismo autêntico, faço aqui meu protesto, meu desabafo:

Estou cansada de tanta banalidade na igreja cristã, chamada hoje de: “evangélica” com seus modismos, extravagâncias, palavras novas pra representar antigas, atos proféticos que viram simpatias, criação de uma versão de Deus 2.0, divulgado, como o Homem do Baú, que resolve todos os seus problemas financeiros, e assim envergonhado muitas vezes. Busca-se cada um a sua versão dentro de cada igreja com uma característica que muitas vezes aconchega, infantiliza os “crentes” e assusta os não-cristãos.

O fato que acontece é que quando um novo convertido não alcança a espiritualidade do líder, do pastor, do ministro de louvor, não “sente” a Deus, não “ouve” a Deus, não tem visões, sente-se colocado à parte, diferente, acha que Deus não o viu. Uma nova crise espiritual!

Chega de copos de água pra “materializar” sua fé, basta  de metaforismos! Dia desses em uma igreja X do sul, vejo propaganda da “vassoura” de Deus,  em outra o cimento de não sei de onde, fogueiras, orações (não temos capacidades de orarmos por nossos problemas?) chega de jatinhos, dízimos, vendas de CDs, que deixam de ser uma bênção para ser um louvor enlatado, o novo hit do momento, onde a música mexe com o MEU interior e me sinto bem e esquecemos que o LOUVOR é para Deus. E as letras são tão repetidas, não como mantras, mas tão repetidas que chegam a ficar vazias de tão gastas que ficam. Perde-se o sentido e significado pela não vivência.

Deus está tão descaracterizado, falo isso porque sai da instituição igreja tradicional, aquela de leitura da bíblia,  de escola dominical, e quando retornei após 4 anos, eis que quando olho um cristão não o vejo mais, e nem a Jesus, mas vejo a igreja, não vejo a Noiva, mas a marca, o pedigree, a fala nos tons de voz tão conhecidos, tão iguais, tão sem personalidade, que até na TV ao mudar o canal, já nem sei se as denominações têm nome diferente.

E nos  mesmos canais de televisão, não vejo “crentes” felizes, mas sempre de cara fechada, chorando,  ouvindo a “Palavra” como se fosse carregando a cruz!!!!!

Sim, a “IGREJA” é para os doentes, mas os doentes não permanecem doentes, pois Jesus veio para que os seus tivessem VIDA.

Não consigo enxergar a  igreja de Jesus, é a Igreja do Apóstolo X, da Igreja Y, onde cada vez mais crescem os nomes dos líderes e Jesus diminui!

Anúncios